Para Aécio, alianças devem ser decididas por lideranças locais

O governador de Minas, Aécio Neves (PSDB) voltou a afirmar hoje que caberá às lideranças locais do PSDB a definição sobre a participação do partido nas eleições municipais deste ano. "Essas práticas stalinistas de decisões de cima para orientar o partido não cabem ao perfil PSDB. Eu tenho absoluta convicção de que essa será a decisão do partido: cada unidade da federação, seja ela estado ou município, tomará a sua decisão no momento adequado e essas situações políticas regionais é que haverão de orientar essas decisões", disse. No caso da capital mineira, Aécio desconversou ao ser questionado sobre um apoio à candidatura do petista Fernando Pimentel à reeleição para a Prefeitura de Belo Horizonte. O pedido de apoio chegou a ser sugerido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva em sua visita ao Estado na quinta-feira passada. "Obviamente, ele (Luiz Inácio Lula da Silva) sabe que as questões partidárias serão decididas pelo partido. Eu sou apenas mais um companheiro do PSDB e, no momento adequado, irei dar a minha opinião", afirmou. A discussão sobre uma possível coligação entre PSDB e PT nas eleições em Belo Horizonte, conforme o governador mineiro, passará por dificuldades. "Vamos deixar que o tempo nos ajude a chegar ao melhor caminho".Aécio negou que existam divergências no partido, no que se refere à oposição ao governo Lula. "Nós somos uma coisa só. As pessoas ficam querendo procurar chifre em cabeça de cavalo. O PSDB tem hoje uma unidade muito forte, na eleição do presidente (do PSDB) Serra (José) isso foi demonstrado e há essa compreensão de que não cabe aos governadores no dia-a-dia fazer esse embate, cabe a eles a posição adequada nos momentos adequados. Somos de oposição ao governo Lula por uma razão preliminar. Nós fomos derrotados nas eleições".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.