Para advogado, José Dirceu está sendo perseguido

O advogado do ex-ministro e ex-deputado José Dirceu, José Luís Oliveira Lima, afirmou nesta terça-feira que seu cliente tornou-se alvo de uma "perseguição" por parte do Ministério Público de São Paulo. Na avaliação do advogado, o MP vem adotando procedimentos ilegais e inadequados ao tentar convocar seu cliente para depor sobre um suposto esquema de corrupção montado em Santo André, na época em que a cidade era administrada pelo ex-prefeito petista Celso Daniel."Eu acho que há sim uma perseguição em relação ao ministro José Dirceu", disse Lima, endossando a idéia de que o MP estaria se aproveitando da forma como o ex-ministro se viu envolvido no escândalo do mensalão para se promover. O advogado citou como outro exemplo dessa teoria o fato de o MP querer convocar o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza para prestar depoimento sobre o mesmo caso, o que segundo ele "causa estranheza". "Eu prefiro atitudes discretas, ponderadas e com fatos concretos".As afirmações de Lima foram feitas após Dirceu ter sido favorecido nesta terça-feira por uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal, Eros Grau. Uma liminar ordenou que fosse suspensa a tramitação do procedimento de investigação aberto para apurar o envolvimento de Dirceu no caso de Santo André, repetindo uma decisão anterior do STF que já havia concluído que o procedimento contra Dirceu não tinha fundamento legal.O processo contra Dirceu foi aberto com base em declarações dadas ao MP paulista por João Daniel, irmão de Celso Daniel, mas as informações fornecidas por ele seriam insuficientes para instaurar uma investigação contra Dirceu. Celso Daniel foi seqüestrado e assassinado em 2002. As investigações se apoiaram na tese de crime comum, mas a família do político petista tenta comprovar a tese de motivação política.Lima ressaltou que a decisão do STF ainda é preliminar e insistiu na necessidade de aguardar uma decisão final sobre o caso. Mesmo assim, disse acreditar que, pelo menos em um primeiro momento, a decisão mostra que o STF concorda que o processo deve ser suspenso. Lima aproveitou para explicar que Dirceu vem se negando a depor no MP paulista pelo fato de este ser um procedimento ilegal. "Num procedimento legal, o ministro Dirceu estará disposto a prestar qualquer tipo de esclarecimento", disse o advogado. "Mas eu acho que a maneira como ele foi convocado para o caso foi inadequada."Com a liminar, Dirceu fica desobrigado a atender a convocação do MP paulista que havia agendado para esta tarde seu depoimento sobre o caso. Antes disso, Dirceu já havia sido convidado a comparecer ao MP para prestar esclarecimentos sobre o caso, mas se negou sob o argumento de que não teria recebido nenhuma notificação sobre o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.