Para advogado de Delúbio, 'acusação é falha'

Arnaldo Malheiros Filho afirma que Roberto Gurgel, procurador-geral da República, 'não faz milagre'

Ricardo Brito, da Agência Estado

06 de agosto de 2012 | 17h53

BRASÍLIA - O advogado Arnaldo Malheiros Filho, defensor do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, afirmou nesta segunda-feira, 6, que o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, "não faz milagre".

 

"A acusação é falha, não o PGR. O PGR não faz milagre", destacou Malheiros Filho, no portão de entrada do Supremo Tribunal Federal, logo após ter feito sua sustentação oral e o colegiado ter iniciado um intervalo no julgamento do mensalão.

 

Ao falar que estava aliviado, Malheiros Filho disse que só precisou de usar pouco mais de 30 minutos do total de uma hora a que tinha direito para a sustentação oral. "Não havia um volume de acusação contra Delúbio que justificasse isso e nem teria sentido de cansar a paciência dos ministros", afirmou.

 

O defensor lembrou que Delúbio admitira ter feito caixa dois de campanha. O crime, contudo, já prescreveu e não foi alvo da denúncia do Ministério Público em relação ao ex-tesoureiro petista. "Os recursos eram captados e eram transferidos para quem tinha despesas de campanha para saldar", afirmou.

 

Questionado se o ex-ministro José Dirceu e o ex-presidente do PT José Genoino deram o aval aos empréstimos, Malheiros Filho respondeu: "O Dirceu, eu não sei dizer, porque ele não estava no partido. Mas o partido sabia sim, isso sim", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.