Para ACM, "Jader não justificou nada"

O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) disse hoje que o presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), "não justificou nada do que foi acusado", referindo-se às denúncias de corrupção publicadas contra Barbalho pela revista Veja. Magalhães anunciou que, a partir de agora, vai mudar sua estratégia. Não vai envolver-se numa briga pessoal e direta com Barbalho, deixando que o Senado, como instituição, tome as providências cabíveis "para sanar esta tristeza que invade os senadores". "Agora, é um problema da instituição, e isto vai refletir-se nas eleições de 2002", disse ACM.Questionado se vai pedir a renúncia de Barbalho da presidência do Senado, ACM disse que não tomará iniciativa nesse sentido mas que, "quando houver insinuações nominais, levianas e mentirosas", vai responder. ACM disse que, em seu pronunciamento de hoje, Jader fez uma acusação séria e grave, ao responsabilizar os empresários da avenida Paulista pela corrupção em projetos da Sudam.Quanto à insinuação de Barbalho de que outros políticos haviam indicado superintendentes da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene, onde também foram detectadas fraudes), ACM disse que indicou Paulo Souto. "Só que Souto não é ladrão como os dois superintendentes indicados por Jader, que foram demitidos", afirmou ACM. "Isso é diversionismo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.