Para ACM, decisão do STJ deixou mal o Senado e Lula

O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) fez um pronunciamento, no plenário, afirmando que a decisão do ministro Peçanha Martins, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), de conceder salvo-conduto ao jornalista Larry Rohter, "deixou mal o Senado e o presidente Luiz Inácio Lula". Rohter havia sido expulso do País por ter escrito no The New York Times que "o hábito do presidente de bebericar vira preocupação nacional". Segundo o senador, o mal-estar ocorreu porque os senadores foram ao presidente Lula para tentar convencê-lo a renovar o visto de Rohter e não conseguiram. "Ficaram mal os líderes e o próprio presidente, porque se fez política de forma apressada, o que não deveria ter sido feito", afirmou. Segundo ele, o gesto dos senadores só deveria ter sido adotado depois de se saber qual seria a posição do presidente. "Não se deve ir ao chefe do Executivo sem saber o que ele pensa", comentou. Oposicionistas chegaram a discutir ontem a possibilidade de comparecerem hoje ao Palácio do Planalto junto com os líderes governistas para ajudar na tentativa de convencer Lula a voltar atrás, mas recuaram ao constatarem que não se sabia com antecedência qual seria a reação do presidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.