DIDA SAMPAIO/ESTADAO
DIDA SAMPAIO/ESTADAO

Após atritos e disputa por dissidentes do PSB, Temer janta na casa de Maia

Ministros e líder do governo na Câmara também participam do encontro de 'reconciliação'

Igor Gadelha, Carla Araújo e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

18 de julho de 2017 | 20h17

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer (PMDB) chegou por volta das 20h50 desta terça-feira à residência oficial do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para participar de jantar com o parlamentar fluminense, ministros e outros deputados. O encontro foi articulado pelo governo para tentar desfazer o atrito que aconteceu mais cedo entre Maia e Temer em razão das negociações feitas pelos dois para atrair dissidentes do PSB para seus respectivos partidos.

Além de Temer e Maia, participam do jantar os ministros Bruno Araújo (Cidades), Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo), ambos do PSDB, e Mendonça Filho (Educação), do DEM. O líder do governo na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) também está presente, além de outros parlamentares.

Em café da manhã fora da agenda oficial hoje no apartamento da líder do PSB na Câmara, deputada Tereza Cristina (MS), Temer fez um convite a parlamentares do PSB descontentes com a direção do partido para que ingressem no PMDB. O convite, porém, acabou criando um novo atrito com o presidente da Câmara, também interessado em atrair para o DEM alguns parlamentares pessebistas.

O PSB deixou oficialmente a base do governo em maio, logo após a divulgação da delação do empresário Joesley Batista, da JBS. Contudo, manteve o Ministério de Minas e Energia nas mãos do deputado Fernando Bezerra Coelho (PE), que faz parte da ala insatisfeita com a cúpula da legenda. Com uma bancada de 37 deputados e 5 senadores, parte dos parlamentares do PSB tem votado com o governo no Congresso.

O encontro na casa a líder do PSB foi marcado nesta segunda-feira (17) por meio do deputado Danilo Forte (PSB-CE) e contou com a presença de outros deputados dissidentes. Logo depois do café, a líder do partido e outros parlamentares seguiram para a residência oficial de Maia, onde foram recebidos para tratar da filiação ao DEM.

Segundo aliados do presidente da Câmara, ele ficou irritado ao saber que Temer procurou os dissidentes do PSB, mesmo conhecendo as negociações com o DEM. Interlocutores de Maia dizem que ele já tinha avisado pessoalmente a Temer sobre as conversas. Um auxiliar do Planalto reconheceu que a atitude do presidente foi "afoita", mas ponderou que faz parte do perfil do presidente atender aos parlamentares para tentar unir a base.

Interlocutores de Temer disseram que a ala governista do PSB sempre pediu proteção do Planalto para evitar retaliação pelo fato de parte do partido votar contra o governo. Maia tem se mostrado distante do Palácio do Planalto desde que a denúncia por corrupção passiva contra Temer começou a tramitar na Câmara.

Nesta quinta-feira (20), ele assume interinamente a Presidência da República enquanto Temer viaja a Mendoza, na Argentina, para a reunião do Mercosul.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.