Par Henrique Alves, 'chegou a hora da reforma política'

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse nesta terça-feira, 02, que é chegado o momento de se fazer a reforma política no País e que o Parlamento quer interagir com a população. "É preciso sim fazer uma reforma, ou via plebiscito, ou via referendo, para que a sociedade participe deste momento de transformação. Chegou a hora", defendeu. O peemedebista, no entanto, destacou que um plebiscito terá de ser aprovado na Casa de maneira consensual.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

02 de julho de 2013 | 12h36

Na manhã de hoje, o vice-presidente da República, Michel Temer, e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, entregaram aos presidentes da Câmara, Henrique Eduardo Alves, e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), as sugestões do Executivo para o plebiscito da reforma política. Alves negou que a iniciativa do governo tenha provocado constrangimentos no Parlamento porque ela aconteceu, em sua visão, "de maneira respeitosa" e não houve imposição por parte do Palácio do Planalto por se tratar de "sugestões".

Alves informou que, por precaução, vai propor aos líderes partidários a criação de um grupo de trabalho para ouvir a sociedade e produzir, em 90 dias, uma proposta paralela de reforma política.O peemedebista também fez uma mea-culpa e lamentou que a reforma não tenha sido aprovada anteriormente. "A reforma política já devia ter sido feita antes. Essa mea-culpa nós fazemos, mas ainda está em tempo de fazer (a reforma)", disse o presidente da Câmara.

Tudo o que sabemos sobre:
plebiscitoHnerique Alves

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.