Papa vê ameaça a cristãos no Oriente Médio

O papa João Paulo II convocou para esta quinta-feira uma reunião de cúpula no Vaticano para debater a situação dos cristãos na Terra Santa, cuja existência se vê seriamente ameaçada.Entre 140.000 e 160.000 católicos, ortodoxos, armênios e protestantes vivem na Terra Santa. De acordo com fontes diplomáticas do Vaticano, "eles estão esmagados entre o nacionalismo judeu e o nacionalismo islâmico".Os cristãos constituem apenas 2% da população local. Na reunião convocada pelo papa, será examinada a situação deles a partir de 28 de setembro de 2000, quando começou a atual intifada.Para a reunião, foram convidados os principais representantes da Igreja Católica na Terra Santa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.