Papa pede atenção especial sobre ´questão amazônica´

O Papa Bento XVI pede às autoridades e à Igreja brasileira que prestem atenção especial à questão amazônica, em uma mensagem divulgada nesta quinta-feira, 22, pelo Vaticano, por ocasião do início da Campanha da Fraternidade da CNBB de 2007, com o tema Fraternidade e Amazônia.Na mensagem, o Papa deseja "que as diversas instâncias da sociedade civil sejam cada vez mais sensíveis à questão amazônica, no respeito das exigências éticas da Justiça e de respeito à vida".O Pontífice afirma também que a campanha, que começou na última quarta-feira, "se insere no marco mais amplo da defesa do ambiente, porque este vasto território constitui um patrimônio comum que, por sua realidade humana, sociopolítica, econômica e ambiental, requer uma atenção especial por parte da Igreja e da sociedade brasileiras".Bento XVI acrescenta que, principalmente neste contexto, a Igreja tem que "promover um processo de ampla evangelização que estimule a missão e as condições favoráveis para a descoberta e o crescimento a fé de toda a população amazônica". Também agradece o trabalho dos missionários e missionárias quetrabalham na área, "mesmo às custas da própria vida". CampanhaApós vários anos usando temas mais distantes da política e uma retórica mais amena, a Igreja Católica brasileira iniciou a campanha deste ano com críticas aos governos e aos efeitos da globalização, tendo como mote a defesa da Amazônia. "(A campanha) é um convite para que toda a sociedade brasileira repense, a partir da realidade amazônica, o modelo de desenvolvimento que se quer para o País como um todo", diz o texto base da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para a campanha.Entre as propostas dos religiosos a serem discutidas, estão o fim da reintegração de posse a fazendeiros que têm terras invadidas e políticas de desenvolvimento sustentável, com ênfase na questão da água. Esta é a terceira vez, em 43 anos, que a CNBB aborda um tema ligado a questões ambientais. Em 1979, o lema foi Preserve o que é de todos e, em 2004, a água e seu uso racional. Desta vez, no entanto, há uma mescla entre a preservação do ambiente e a necessidade de melhorar as condições de vida da população da Amazônia - uma campanha socioambiental.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.