EFE
EFE

Papa diz que Brasil passa por momento triste e não sabe se vem ao País em 2017

O comentário foi feito durante a inauguração de uma estátua de bronze da padroeira do País, Nossa Senhora Aparecida, nos jardins do Vaticano, nesta manhã

EFE, O Estado de S. Paulo

03 de setembro de 2016 | 17h54

O papa Francisco disse neste sábado, 3, que o Brasil passa por "um momento triste" e afirmou não saber mais "se será possível visitar o Brasil em 2017", como havia cogitado em 2013 em viagem ao País.

O comentário foi feito durante a inauguração de uma estátua de bronze da padroeira do País nos jardins do Vaticano, na manhã de hoje. "Estou contente de que a imagem de Nossa Senhora Aparecida esteja aqui nos jardins. Em 2013, havia prometido retornar ao Brasil (durante a Jornada Mundial da Juventude). Não sei se será possível, mas, pelo menos, agora estou mais perto dela (da santa) aqui."

Em seguida, ele convidou as pessoas "a rezar para que Nossa Senhora Aparecida continue protegendo todo o Brasil, todo o povo brasileiro, neste momento triste". 

Um mês atrás, em 2 de agosto, a agência Ansa divulgou que o papa havia escrito uma carta de apoio à ex-presidente Dilma Rousseff, que foi deposta da Presidência da República pelo Senado na última quarta-feira. Em declaração à Ansa no início de agosto, Dilma confirmou que recebera a carta de Francisco, mas se negou a detalhar o conteúdo da conversa. "Não foi uma carta oficial, não foi uma carta do papa em sua condição de representante do Vaticano. Não tem importância (o conteúdo). Não é uma carta para ser divulgada." 

O papa e Dilma se reuniram pela primeira vez em 2013, quando ele visitou o Brasil para a Jornada Mundial da Juventude, no Rio de Janeiro. Em fevereiro de 2014, a petista esteve em Roma para a cerimônia que oficializou dom Orani Tempesta como cardeal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.