Palocci vai liberar R$ 1,5 bi para emendas dos parlamentares

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, informou ao líder do PT na Câmara, Arlindo Chinaglia (SP), que um total de R$ 1,5 bilhão de despesas previstas pelas emendas parlamentares no orçamento de 2004 será liberado imediatamente. A conversa do ministro com o líder foi por telefone, na noite do último sábado. O líder governista disse, antes de entrar para o seminário que a bancada do PT realiza nesta manhã, que o contingenciamento anunciado na última sexta-feira, de R$ 3 bilhões dos recursos referentes às emendas dos parlamentares ao orçamento, atingirá especificamente as emendas de bancada. Essas emendas são alterações feitas no orçamento, reorientando a utilização dos recursos, em consenso das bancadas dos partidos no Congresso e são de maior valor que as emendas individuais.Palocci disse, segundo relato de Chinaglia, que em janeiro já houve uma arrecadação de R$ 1 bilhão acima do previsto e à medida que essas arrecadações se concretizem, o governo pretende descontingenciar a parcela de R$ 6 bilhões no orçamento de 2004."O governo pode executar o orçamento todo até o final do ano, da maneira que quiser e assim atender às emendas dos parlamentares", disse Chinaglia. Segundo ele, as emendas de bancada estarão contingenciadas, mas o governo poderá definir obras que receberão investimentos. "O importante é que se houver aumento da receita aquilo que levou o governo a contingenciar poderá estar superado", disse Chinaglia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.