Palocci só deve chegar amanhã a Davos

O ministro da Fazenda, Antônio Palocci, que deveria iniciar na tarde de hoje a sua participação no Fórum Econômico Mundial, chegará em Davos apenas no inicío da noite de amanhã, juntamente com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Com isso, Palocci não irá participar da reunião que estava programada para a manhã deste sábado com dez economistas internacionais e que foi organizada pelo banco de investimentos norte-americano Goldman Sachs.O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, deverá substituir Palocci nessa reunião e tem a sua chegada em Davos prevista para esta manhã. O ministro da Fazenda também tinha programado um encontro no final da tarde sábado com a vice-diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Anne Kruegger, mas assessores da delegação brasileira junto ao fórum ainda não sabem se o encontro será transferido para outro horário ou se Meirelles também irá substituir Palocci.Os integrantes da delegação brasileira que já estão em Davos, cerca de vinte pessoas, participaram nesta manhã de uma reunião, coordenada pelo ministro da Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Luiz Fernando Furlan, e o ministro da Cultura, Gilberto Gil. Segundo Furlan, o encontro serviu para organizar a participação dos brasileiros no fórum e também "afinar o discurso". Gil salientou que o fórum social de Porto Alegre não existiria sem o encontro de Davos. "Eles são complementares e, por isso, a nossa participação é importante". O presidente do grupo Ipiranga, Bolivar Moura, disse que a expectativa entre os particpantes do fórum com particpação de Lula é enorme. "Nos vários contatos que venho mantendo por aqui, sinto que uma curiosidade simpática pelo presidente Lula", disse Moura. O presidente do Banco Santos, Edmar Cid Ferreira, disse que o "Brasil está na moda, e Lula está na moda". Segundo ele, o fórum de Davos está sendo marcado com uma preocupação com o aspecto social da globalização. "E o Lula é o paradigma dessa preocupação, é a pessoa legítima para liderar essa busca pela diminuição da pobreza e desigualdade no mundo".Veja o índice de notícias sobre o Governo Lula-Os primeiros 100 dias e a área econômicaVeja o especial sobre os Fóruns de Davos e Porto Alegre

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.