Palocci será indiciado na 5ª feira por irregularidades em Ribeirão

O depoimento do ex-ministro da Fazenda, Antônio Palocci Filho, no inquérito que investiga fraudes no contrato de lixo e limpeza urbana de Ribeirão Preto, ocorrerá na quinta-feira, às 13 horas, no prédio da Polícia Interestadual (Polinter), em Brasília. Palocci deverá ser indiciado em cinco crimes: superfaturamento, peculato, formação de quadrilha, falsidade ideológica e corrupção passiva. O ex-prefeito de Ribeirão Preto será ouvido por carta precatória, já que o delegado seccional de Ribeirão, Benedito Antônio Valencise, ao contrário do que tem dito nos últimos dois meses, não irá a Brasília. Dois promotores - Tiago Cintra Essado e Daniel José de Angelis - que acompanham as investigações na cidade do interior paulista vão acompanhar o depoimento. Valencise foi procurado hoje para comentar a decisão do depoimento ser por meio de carta precatória e não pessoalmente, como sempre afirmou que ocorreria (já que preside o inquérito e conhece todos os detalhes), mas não foi localizado pela reportagem do Estado. Essado também não soube informar o motivo da mudança. O advogado de Palocci, José Roberto Batochio, também não entendeu a mudança. "Acho estranho, pois tinha a informação de que iriam a Brasília o Valencise e um ou dois promotores", comentou o advogado."Não tenho a menor idéia dessa mudança e não vou entrar na área da achologia, que tem 99,9% de levar ao erro", disse Batochio. "De nossa parte, não nos opomos que seja ele (Valencise), queremos é cooperar." O advogado nega que seu cliente seja responsável pelos crimes apontados no inquérito do lixo de Ribeirão Preto e também afirma que nada viu, nos 74 volumes do inquérito, qualquer fato que aponte Palocci como participante ou mandante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.