Palocci rebate críticas de Bornhausen ao governo

O ministro da Fazenda, Antônio Palocci Filho, respondeu as críticas feitas hoje pelo presidente do PFL, Jorge Bornhausen, de que o governo é perdulário e não teria autoridade para propor aumento de impostos. "Não temos nenhuma decisão ou proposta que vai no sentido de aumentar a carga tributária. Já disse isso diversas vezes e não entendo porque alguns não entendem ou não querem entender isso", disse Palocci, sem citar Bornhausen nominalmente, ao deixar o ministério de Minas e Energia, onde se reuniu com a ministra Dilma Roussef. Palocci insistiu que o governo pretende interromper o aumento sucessivo da carga tributária no País. "Nós queremos mudar a história recente do País onde nos últimos dez anos a carga tributária foi elevada em exatos dez pontos porcentuais do PIB (Produto Interno Bruto), passando de 25,86% para 35,86%", disse. "Esses partidos poderiam ter reclamado nesse período". Palocci disse ainda que o governo não pode, no curto prazo, assumir o compromisso de redução da carga de impostos, taxas e contribuições no País. "Não podemos fazer no momento um compromisso de redução no curto prazo, mas tão pouco teremos essa carga mais aumentada. Ela é um prejuízo para as pessoas e para a economia", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.