Palocci leva a senadores documento sobre evolução do mínimo

O ministro da Fazenda, Antonio Palocci, entregou aos senadores um documento sobre a evolução do valor do salário mínimo nos últimos anos. Um dos principais argumentos do ministro para convencer os senadores da base aliada a aprovar o mínimo de R$ 260, proposto pelo governo, é o impacto negativo de uma correção maior nos programas sociais. O documento da Fazenda afirma que um aumento de R$ 15 no mínimo, conforme a proposta do PFL, traria uma melhoria de renda para as famílias pobres de R$ 700 milhões, mas um custo de R$ 1,8 bilhão para a União. Já um aumento do benefício básico da Bolsa Família de R$ 11 para uma família que recebe até 1/4 do salário mínimo, resultaria na mesma melhoria de renda das famílias pobres (R$ 700 milhões), mas a um custo menor, de R$ 700 milhões. O líder do governo no Congresso, senador Fernando Bezerra (PMDB-RN) considerou que está mais perto de se aprovar o salário mínimo de R$ 260 e que os argumentos do ministro foram consistentes. "Isso é uma questão de bom-senso. A questão do salário mínimo tem que ter uma visão mais política e o ministro mostrou que o governo está no rumo certo", disse Bezerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.