Palocci está firme no cargo, diz senador petista

O senador Tião Viana (PT-AC) disse que o pedido de liminar feito para suspender o depoimento do caseiro Francenildo dos Santos Costa, conhecido como Nildo, na CPI dos Bingos teve o objetivo de defender o Regimento Interno do Congresso e a Constituição. Segundo ele, é natural o recurso ao STF, tanto que a própria oposição, que nesta quinta-feira protestou bastante quando o tribunal deu a liminar, fez uso deste instrumento quando isso era de seu interesse.O senador não citou fato concreto, mas a oposição recorreu ao STF para que a CPI dos Bingos, que estava criada, fosse instalada. Ocorre que as lideranças dos partidos da base aliada não indicavam seus representantes para integrá-la, e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que tinha a prerrogativa de fazer as indicações em caso de os líderes não o fazerem, tampouco vinha tomando essa providência. Assim, a CPI existia apenas no papel e acabou sendo instalada por força de uma decisão do Supremo.Viana disse que considerou "absolutamente frágil" o depoimento do caseiro porque, segundo ele, Francenildo está mentindo. O senador manifestou sua convicção de que o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, objeto do depoimento do caseiro, "está firme no cargo". "Eu tenho certeza de que o ministro Palocci nunca esteve na casa. Tenho certeza de que ele está dizendo a verdade", disse Viana, acrescentando que as declarações do caseiro será confrontado "no momento adequado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.