'Palocci é assunto do governo, não do PT', diz Magela

O secretário de Assuntos Institucionais do PT, deputado Geraldo Magela (DF), disse hoje, ao chegar à reunião da Executiva Nacional do partido, que o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, deve dar explicações ao governo e à sociedade sobre as acusações que pesam contra ele. Magela seguiu, no entanto, a estratégia traçada pela cúpula petista, que tenta se desvencilhar da crise política e lava as mãos em relação ao mérito das denúncias.

VERA ROSA, Agência Estado

02 de junho de 2011 | 11h51

"O assunto Palocci é assunto do governo, não é assunto do PT", afirmou. Nos bastidores, porém, dirigentes e parlamentares do PT pedem a saída de Palocci sob a alegação de que o desgaste prejudica cada vez mais o governo e o partido. Em público, a estratégia é apenas reforçar o coro das cobranças de explicações por parte do principal ministro do governo da presidente Dilma Rousseff.

Palocci é acusado de enriquecimento ilícito e tráfico de influência, no período de 2006 a 2010, quando era deputado federal. Até agora, ele enviou explicações sobre a origem do seu patrimônio apenas à Procuradoria-Geral da República (PGR). Apesar de defender Palocci, o governo avalia que ele precisa se manifestar o quanto antes. Ontem, a Comissão de Agricultura da Câmara aprovou a convocação do ministro-chefe da Casa Civil para prestar esclarecimentos. O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), suspendeu a convocação até terça-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.