Palocci critica indexação ?em qualquer setor da economia?

O ministro da Fazenda, Antônio Palocci, destacou a necessidade de o Brasil evitar a indexação em qualquer setor da economia. O comentário foi feito durante discurso sobre a medida provisória assinada hoje, que reduz em R$ 100 a base de cálculo do Imposto de Renda de Pessoa Física. O ministro lembrou que o pleito das centrais sindicais era de correção da Tabela do Imposto de Renda pela inflação. Mas argumentou que esse critério de indexação deve ser evitado.Com a solução encontrada, segundo ele, foram beneficiados os trabalhadores de menor renda. Com a dedução dos R$ 100, o efeito prático será uma isenção do IR para quem ganha até R$ 1.500,00; um desconto de 64,9% para renda de até R$ 1.600; de 30% para a faixa de até R$ 1.800; 16,7% para quem ganha até R$ 2.100; baixando para 5,1% para quem recebe acima de R$ 4 mil.Ao comentar a medida provisória sobre o acordo da Previdência assinado hoje, Palocci disse que o episódio serve de alerta para que os direitos dos trabalhadores sejam respeitados no tempo certo, evitando dificuldades para as pessoas e passivos futuros para o Orçamento. Ele citou ainda a sanção da lei que reduz o PIS/Cofins e destacou que o texto isenta os insumos de agropecuária nacionais e importados, os principais produtos da cesta básica e os livros técnicos e científicos de qualquer procedência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.