Palocci apela para compreensão para fechar Orçamento de 2005

Após reunirão de duas horas com líderes governistas e oposicionistas na Câmara e no Senado, o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, disse que é preciso a compreensão de todos porque não é possível atender todos os pedidos de redução tributária e aumento de despesas. "A conta não fecha, e o nosso papel é fechar a conta", alertou o ministro, que discutiu com os parlamentares a proposta do Orçamento da União para 2005. Palocci observou que "é dura a vida" do relator do Orçamento e dos Ministérios da Fazenda e do Planejamento, que têm que fazer com que, no final, a conta feche com a redução de receitas e aumento das despesas. Ele manifestou, porém, sua certeza de que, se houver equilíbrio e serenidade, é possível chegar a um bom termo para votação do Orçamento do próximo ano. Amanhã, Palocci terá uma reunião com os governadores para discutir o ressarcimento da desoneração do ICMS nas exportações. Perguntado sobre o tamanho das emendas dos parlamentares, Palocci disse que o Poder Legislativo tem autonomia. "O Ministério da Fazenda não vai contestar as iniciativas dos parlamentares que valorizam a idéia da emenda parlamentar", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.