Palestinos protestam no Fórum Social contra ação de Israel

Com bandeiras, cartazes e gritos de "Sharon, Mofaz, assassino!", em referência, respectivamente, ao primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, e ao ministro da Defesa de Israel, Shaul Mofaz, um pequeno grupo de palestinos fez um protesto hoje de manhã na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), em Porto Alegre, onde está sendo realizado o 3º Fórum Social Mundial (FSM).Eles protestavam contra a invasão promovida ontem à noite pelo exército israelense na cidade de Gaza, na faixa de Gaza. Segundo esses manifestantes, a ação do exército israelense provocou a morte de 15 pessoas e feriu 55, destruindo 44 casas e lojas.Alguns minutos depois do início do protesto, cerca de 100 pessoas de diversas nacionalidades e que participam do Fórum aderiram ao grupo de palestinos e começaram a gritar palavras de ordem. Entre elas: "O povo palestino é meu amigo, mexeu com ele, mexeu comigo". A mesma utilizada no Fórum passado, quando o ativista francês José Bové foi preso.O embaixador da Autoridade Palestina no Brasil, Moussa Amer, que estava no teatro da PUC-RS no momento da manifestação, acusou Sharon de estar promovendo um massacre contra os palestinos para vencer as eleições agendadas para a próxima terça-feira."Pedimos proteção à comunidade internacional, sob as regras da Organização das Nações Unidas (ONU)", afirmou. Segundo ele, o premiê israelense nega-se a conceder acesso aos representantes da ONU às áreas sob cerco do exército. "Se a ONU pudesse entrar na região, evitaria que pessoas fossem vitimadas dos dois lados do conflito", argumentou.Alan Jarra, do Medical Relief Committees (Comitê de Alívio Médico), maior ONG palestina, também presente ao Fórum, disse que a incursão de Sharon é "ilegal, imoral e um modo bárbaro de pensar". "Espero que esse ataque de ontem se volte contra ele (Sharon) próprio", afirmou.Embora barulhenta, a manifestação foi pacífica e sem a necessidade de intervenção da Polícia Militar ou dos seguranças da PUC-RS.Veja o especial sobre os Fóruns de Davos e Porto Alegre

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.