País vai democratizar acesso a esporte com política permanente

O ministro do Esporte Agnelo Queiroz afirma que o País está criando uma política permanente de esporte. Segundo ele, o presidente Lula quer trasformar o esporte em uma política, como saúde e educação. O ministro disse ainda que a prioridade dessa medida é a democratização do acesso. Entre as iniciativas bem-sucedidas, Queiroz destaca o programa Segundo Tempo, que já atende 800 mil crianças, e o programa de descoberta de talentos de jovens de 10 a 15 anos. O ministro afirmou que cada região do Brasil terá centros de auto-rendimento, nos quais uma modalidade esportiva receberá maior incentivo.O coordenador do escritório da Unesco no Brasil, Pedro Lessa, afirmou, durante entrevista para a TV Nacional e NBR, que há uma queda de 30% da criminalidade por ano nas regiões em que existem programas de apoio ao esporte para criança e adolescente. Segundo ele, o esporte melhora as relações interpessoais. "Ele harmoniza das pessoas", explica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.