País teve 409 mil escutas em 2007, calcula CPI

Com base em números fornecidos por seis operadoras de telefonia, a CPI dos Grampos calculou que, em 2007, 409 mil linhas telefônicas no Brasil foram alvo de escuta por ordem judicial. O dado foi revelado em março, quando a CPI promoveu audiência com representantes de Vivo, Telefônica, Oi, Tim, Claro e Brasil Telecom. O número de grampos provocou alarme em setores do Judiciário.Em depoimento à CPI, o procurador de Justiça José Carlos Cosenzo avaliou que existe hoje um "descontrole absoluto" sobre a utilização de escutas telefônicas em investigações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.