País tem 1 milhão de crianças que trabalham e não estudam

O trabalho infantil ainda é um problema no Brasil, segundo mostrou a Pesquisa Nacional de Amostra por Domicílios (Pnad), divulgada hoje pelo IBGE. As crianças e adolescentes ainda são 12,7% da população de 5 a 17 anos, ou 5,4 milhões de pessoas. Desse universo, há o caso mais preocupante de 1 milhão de crianças e adolescentes que trabalham e não estudam. O trabalho está ligado à freqüência à escola. Entre as crianças e adolescentes que trabalham, 80% também estudam, enquanto entre as que não trabalham o porcentual sobe para 91%. Embora tenha sido reduzido quase à metade, ainda há 11,6% de crianças de 10 a 14 anos trabalhando, ou quase 2 milhões de crianças sendo que desse total, quase 300 mil têm entre 5 e 9 anos. Um dado preocupante é que 41% das crianças e adolescentes que trabalham não têm remuneração e 7,4% trabalham apenas para produção própria da família, ou seja, são 48% que não têm a contrapartida do salário. No caso dos que têm entre 5 e 9 anos, os sem-remuneração são 72% e entre os que têm entre 10 e 14 anos, 56%. Leia Mais sobre os resultados da Pnad Renda média do trabalhador caiu 2,5% em 2002 31,9% das residências ainda não tinham esgoto em 2002 Casas conectadas à web aumentaram 23,5% de 2001 para 2002

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.