Pais se emocionam na despedida de Pedrinho

A despedida entre Pedrinho e os pais biológicos foi difícil e marcada pela emoção, principalmente por parte da mãe, Maria Auxiliadora Braule Pinto, que estava inconsolada e chorava muito. Eles deixaram Goiânia e já estão retornando a Brasília em um micro-ônibus, juntamente com os irmãos de Pedrinho, tios e primos, que acompanharam Jayro Tapajós, o pai, e Maria Auxiliadora. Osvaldo Júnior, o Pedrinho, conforme anunciou nesta manhã, decidiu continuar morando em Goiânia, com a mãe adotiva, Vilma Martins da Costa. Ele não chorou, mas estava um pouco assustado, principalmente com o assédio da imprensa. O pai biológico disse que gostaria de poder levar Pedrinho para casa, mas estava conformado em ser amigo do filho. Osvaldo Júnior, como Pedrinho prefere continuar sendo chamado, disse durante entrevista à imprensa que vai visitar os pais em Brasília, mas não marcaram data para novo encontro. Os pais biológicos, depois de 16 anos desde que o filho foiseqüestrado em um hospital em Brasília, se encontraram hoje pela manhã pela primeira vez com Pedrinho. Eles passaram mais de três horas juntos e almoçaram em uma churrascaria em Goiânia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.