País priorizará futebol e eleição no combate à corrupção

O combate à lavagem de dinheiro no futebol e nas campanhas eleitorais serão alvos prioritários dos órgãos de investigação federais em 2008. Segundo informou o secretário Nacional de Justiça do Ministério da Justiça, Romeu Tuma Jr., na esfera eleitoral, uma das idéias é criar um cadastro de doadores de campanha que inclua valores doados e informações sobre a capacidade econômica de cada um. O cadastro permitiria identificar eventuais doações suspeitas, feitas por pessoas ou empresas laranjas e fantasmas. No ramo desportivo, o objetivo é estudar mecanismos que impeçam a utilização de negociações de jogadores e fraudes nas bilheterias como ferramentas de lavagem e desvio de recursos.A definição de temas a serem estudados por grupos setoriais permanentes é a nova estrutura da Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e Lavagem de Dinheiro (Enccla), aprovada hoje durante o seu 5º encontro anual. O ministro da Justiça, Tarso Genro, criticou levantamentos internacionais que colocam o Brasil entre os países mais corruptos do mudo. "Em cinco anos, ou menos, o Brasil será reconhecido como um dos países que mais combatem a corrupção."A revisão da estrutura é uma tentativa de aumentar a eficiência da Enccla que, para o ministro, estava enquadrada em um modelo "esgotado". Desde 2003, a cada encontro anual, tarefas (metas) eram definidas e perseguidas ao longo do ano por grupos de trabalho. Mas, nos últimos dois anos, as propostas foram se tornando cada vez mais burocrática e repetitivas. A partir de agora, além de um número menor de metas, a Enccla terá três grupos permanentes que farão diagnósticos sobre problemas concretos e proporão soluções de curto, médio e longo prazo. Para 2008, 22 metas forma aprovadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.