País precisa de credibilidade para crescer, diz FHC

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou hoje que a redução da taxa de juros não é suficiente para atrair investimentos de longo prazo ao País. Ele preferiu não opinar sobe a decisão do Copom: ?Sei que mesmo quando temos a sensação de que dá para baixar sempre vem um técnico para avisar para tomar cuidado. É sempre muito difícil?. Segundo FHC não basta baixar a taxa de juro para que o país volte a crescer. Crescimento implica em investimento e investimento requer confiança. De acordo com Fernando Henrique há ainda outros fatores que prejudicam o investimento como a possibilidade de o governo mudar a orientação da política econômica, a demora na realização das reformas, ou o preço do petróleo. ?Hoje, a interdependência é muito grande nas economias, por isso mesmo é necessário que haja um rumo definido, fixo dos governos. No Brasil, alguns setores políticos ligados ao governo começaram a demonstrar preocupação forte com a condução da política econômica. Isso atrapalha, quem está de fora e, mesmo aqui dentro, empresários ficam na dúvida e não investem?, explicou, en entrevista à Radio CBN.Fernando Henrique afirmou também que as questões extra-econômicas pesam muito na decisão dos investidores. ?Nós recebemos depois do Plano Real mais ou menos 150 bilhões de dólares. Isso é muito mais do que toda a história do Brasil no passado. Esses recursos vieram porque havia no Brasil um sentimento de que íamos avançar nas reformas, o governo estava modernizando as agências reguladoras e os empresários brasileiros tomaram a dianteira.?Agências regulatóriasO ex-presidente defendeu a criação, no seu governo, dos marcos regulatórios. ?O próprio presidente Lula disse que eu teria terceirizado a administração pública porque criei as agências regulatórias. Uma frase desta tem efeito bombástico, porque dá a impressão que foi um erro. As agências regulatórias são a forma moderna de o Estado controlar e garantir não só o contrato mas também o atendimento do consumidor?, esclareceu. FHC disse que o atual governo pode ter se arriscado ao fazer mudanças no setor elétrico, já que isso pode paralisar os investimentos. ?Creio que agora vai ser preciso colocar mais dinheiro no setor elétrico e, para isso, o governo vai ter de tirar de alguém. Ou tira do Tesouro mexendo na Educação, na Saúde, ou pede empréstimo ao BNDES, diminuindo a capacidade do BNDES de atender o setor empresarial?.Instituto Fernando Henrique CardosoO ex-presidente inaugura neste final de semana o Instituto Fernando Henrique Cardoso neste sábado, no 6º andar do Edifício CBI, no Vale do Anhangabaú, Centro de São Paulo. Segundo ele, a iniciativa tem o objetivo de reunir, organizar e manter toda a documentação acumulada durante os seus oito anos de governo. ?Nós criamos uma espécie de Fundação privada sem fins lucrativos, para manter essa documentação e abrimos o acesso limitado aos especialistas e pesquisadores. Segundo Fernando Henrique, entre os convidados para a inauguração está o ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, que vai fazer uma conferência no sábado pela manhã. Além dele, também estarão presente Leonel Jospin, José maria Sanguinetti e Antonio Guterres. ?Convidei também o presidente Lula e todos os ex-presidentes. Sarney e Itamar. Convidei todos para mostrar que isto aqui é uma instituição diferente das que estamos acostumados - as instituições políticas, onde uns ficam sempre contra os outros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.