Pais de estudante depõem sobre a morte da filha após lipoaspiração

Os pais da estudante Helen de Moura Buratti, de 18 anos, que morreu no dia 5, um dia após uma cirurgia de lipoaspiração, feita pelo ginecologista Vanderson Bullamah, prestaram depoimento hoje à delegada do 1º DP , Maria Beatriz Moura Campos, de Ribeirão Preto, a 310 quilômetros de São Paulo, que preside o inquérito do caso. A delegada já ouviu outros parentes de Helen, além de já ter um laudo necroscópico sobre a morte, que apontou grande perda de sangue e anemia aguda. Renato e Sônia Buratti estavam acompanhados do advogado Rogério Buratti, tio de Helen. Os pais informaram que só ficaram sabendo que a filha havia tido febre no dia da cirurgia, no dia 4 de julho, quando ela teve alta. Segundo Maria Beatriz, eles informaram que, após a alta da clínica, Helen passou mal. Os pais pensaram que poderia ser uma desidratação em função da febre na véspera. Porém, ao voltar à clínica foi constatada a gravidade do quadro. Helen foi transferida para a Beneficiência Portuguesa, onde morreu poucas horas depois. Funcionários do hospital também serão ouvidos durante a investigação. O depoimento de Bullamah ainda não foi marcado.

Agencia Estado,

23 Julho 2002 | 19h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.