Painel da Câmara já pode ser utilizado

O painel de votação da Câmara dos Deputados está tecnicamente liberado para ser utilizado. A informação é da equipe de peritos da Universidade de Campinas, que esteve em Brasília desde a última sexta-feira, até este domingo à noite, para investigar a origem do travamento do painel.Na quarta-feira passada, durante votação do projeto que muda a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), o painel parou de funcionar, dando margem a suspeitas de fraude.O coordenador da equipe técnica da Unicamp, Álvaro Crosta, afastou qualquer possibilidade de manipulação do painel e garantiu que a falha foi exclusivamente técnica.Crosta comunicou a conclusão da perícia neste domingo mesmo ao presidente da Câmara, Aécio Neves. Nesta segunda, Aécio deve decidir se usará o painel na votação da CLT, que será retomada na próxima terça-feira."Nós passamos as informações técnicas ao presidente de que o painel estará pronto para funcionar na terça-feira. A decisão política será dele", informou o diretor-geral da Câmara, Sérgio Sampaio.O relatório final da perícia, no entanto, só será concluído nos próximos dias. "O erro foi identificado, e o painel está tecnicamente liberado. Só precisam limpar o sistema, o que pode ser feito rapidamente pelo pessoal da Câmara", garante Crosta.Os peritos da Unicamp prestaram tais esclarecimentos neste domingo, no início da noite, após longa reunião, a portas fechadas, com o diretor-geral da Câmara, e o secretário-geral, Mozart Vianna de Paiva.Durante o domingo, os peritos da Unicamp reproduziram todos os procedimentos de operação do painel, incluindo uma votação simulada.Explicaram os técnicos que o travamento do painel ocorreu devido a "uma seqüência de eventos" fora do padrão para o qual o sistema está programado. Entre as quais, citou Paulo Geus, um dos três peritos, "cancelamento de presença e transposição de uma votação para outra".Em resumo, houve uma superposição de informações e de procedimentos no painel. O travamento ocorreu no momento em que uma nova votação iria acontecer sem que a anterior tivesse sido apagada.Mozart Vianna de Paiva lembrou os fatos que ocorreram na quarta-feira passada, quando houve o incidente. Quando o painel foi aberto para a primeira votação, cerca de 20 parlamentares haviam registrado sua presença.Por causa de uma questão de ordem da oposição, atendida pelo presidente Aécio Neves, o painel seria zerado. O fato ocorreu depois de duas votações, uma ordinária e outra extraordinária.O procedimento adotado para limpar o painel acabou sendo registrado como uma terceira votação, quando só são comportadas duas, o que acionou seu sistema de segurança.De qualquer forma, embora travado, o painel eletrônico registrou a votação da CLT. Na última sexta-feira, a direção da Câmara divulgou a relação dos deputados que votaram contra e a favor do projeto. O governo ganhou, com 255 votos. Foram registrados 206 votos contrários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.