Paim apela para que Câmara vote logo MP do Mínimo

O deputado Paulo Paim (PT-RS), autor do substitutivo que eleva o salário mínimo para o equivalente a US$ 100 (cerca de R$ 250), faz um apelo aos deputados para que compareçam amanhã ao plenário da Câmara com o objetivo de votar a medida provisória que fixou em R$ 200 o valor do mínimo vigente desde 1.º de abril. Segundo Paim, a base governista não quer definir o novo valor. "Isso desgasta a Casa e o Poder Legislativo é o grande prejudicado, porque a população não entende a falta de quórum na véspera do feriado, que é só na quinta-feira", afirmou, referindo-se ao Dia de Corpus Christi. Já o líder do PSDB na Câmara, Jutahy Magalhães Júnior (BA), afirmou exatamente o contrário. "Não é desgaste ficar com a pauta trancada", afirmou, sobre o fato de a MP do Mínimo segurar a ordem do dia por falta de acordo entre os partidos. "Desgaste maior é ter o País parado por falta de recursos", disse, referindo-se à demora na votação da proposta de emenda constitucional (PEC) que prorroga a vigência da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). O trancamento da MP do Mínimo na Casa, neste momento, interessa ao governo, pois, se fosse aprovada agora, a medida seguiria para o Senado, onde também prenderia a pauta, no momento em que o Executivo federal tem urgência para votar a PEC da CPMF. A votação em primeiro turno desta PEC está prevista para dia 4 e a do segundo, para dia 12.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.