Paim abandona oposição e votará em mínimo de R$ 545

Após se reunir com a presidente Dilma Rousseff hoje, o senador Paulo Paim (PT-RS) disse ter ouvido uma promessa de abertura de discussão sobre o fator previdenciário e o reajuste dos aposentados que ganham acima de um mínimo. O petista deve ir à tribuna no início desta tarde para anunciar que, diante das promessas, votará com o governo na questão do salário mínimo, aprovando o valor de R$ 545.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

23 de fevereiro de 2011 | 13h15

Segundo Paim, a presidente não fez "pressão". Ele destacou que os dois têm uma relação de 30 anos e disse ter ouvido dela que seu voto sobre o salário mínimo é "simbólico". O petista afirmou que, ao governo se abrir para a discussão sobre fator previdenciário e o reajuste dos aposentados, as centrais sindicais já conseguiram uma vitória. "Esses dois pontos são das centrais e serão debatidos com as centrais, e nós faremos aqui uma comissão quase que de apoio a esta discussão. Ela (Dilma Rousseff) disse que vai estabelecer um contato com as centrais".

Para o fim do fator previdenciário, existem algumas propostas em discussão. A que parece reunir mais possibilidades de avançar é a fixação de uma idade mínima para aposentadoria. No caso do reajuste dos aposentados, o debate deve começar pela proposta aprovada para o ano passado, que deu 80% do reajuste do mínimo para quem recebe benefício previdenciário acima deste valor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.