Pai deu dinheiro a Nildo após acordo, confirma a mãe

Benta Maria dos Santos Costa, 42 anos, mãe do caseiro Francenildo dos Santos Costa, confirmou que o empresário Eurípedes Silva é o pai de seu filho e que em dezembro do ano passado fez um acordo financeiro para evitar que o caso parasse na Justiça. Segundo Benta, o próprio Eurípedes avisou do envio do dinheiro para a conta de Francenildo. Ela afirmou ainda que não acredita na versão de que Francenildo foi pago para fazer as denúncias contra o ministro da Fazenda, Antonio Palocci. "Eu não acredito de jeito nenhum. O Eurípedes começou a enviar o dinheiro porque ficou com medo de Nildo entrar na Justiça para obter o registro com o nome do pai", disse a mãe, em entrevista ao repórter Expedito Filho de O Estado de S. Paulo.A seguir leia os principais trechos da entrevista:Estado: A senhora conhece o empresário Eurípedes Soares da Silva?Benta Maria dos Santos Costa: Conheço.Estado: Quando?Benta: Quando ele começou a trabalhar ainda com uma empresa pequena de dois ônibus. Nesse tempo, ele não tinha empregado e trabalhava sozinho. Ele sempre me via, eu menininha nova. Fui trabalhar em Teresina porque meus pais não tinham condições de me dar o que eu queria.Estado: Qual foi o emprego da senhora?Benta: Como babá na casa de uma senhora. Eu tinha 15 anos. Ele era bem mais velho. Ele andou atrás de mim mais ou menos dois meses. Por conselho de uma colega acabei saindo com ele. O relacionamento de saída foi só de um mês. E aí eu engravidei. Eu não tomava medicamento nenhum.Estado: A sra. avisou que estava grávida?Benta: Avisei e ele disse que não era dele. Disse que me daria o dinheiro para comprar o remédio para abortar a criança. Não tomei o remédio e briguei com ele. Eu pedi dinheiro para ir ao médico. Ele disse que não dava.Estado: Quando Nildo conheceu o pai?Benta: Com 14 anos. Foi durante uma reunião com os moradores. Nesse dia eu chamei ele e falei: Olha, o seu filho quer te conhecer. Aí ele disse que esse menino não era dele, na vista dele. Nildo ficou traumatizado. Ele, que era calmo, ficou rebelde e eu levei ele para aí para ver se passava.Estado: Quando foi que ele começou com a idéia de querer o registro?Benta: Agora, depois que ele passou a de maior. Depois que ele começou a estudar no colégio, ele disse que os amigos apresentavam o nome do pai e aí ficavam falando: ?Teu pai e tua mãe é tua avó, como é que isso??. Ele disse: ?Não, mãe, esse negócio não está certo. Vou querer meu registro direito?. Estado: Quando Nildo teve a primeira conversa sobre o registro?Benta: Foi em dezembro.Estado: O acordo era tirar o registro com o nome do pai?Benta: Era. Meu filho disse que era para Eurípedes consultar os advogados que ele, Francenildo, ia caçar os deles para saber dos direitos.Estado: Quando surgiu esse acordo financeiro? Em dezembro?Benta: Foi. Eurípedes começou a enviar o dinheiro porque ficou com medo do Francenildo colocar ele na Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.