Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Pai da ministra Cármen Lúcia morre aos 98 anos

Presidente do Supremo visitou o pai em Espinosa, cidade de Minas, no último fim de semana

Leonardo Augusto, especial para O Estado, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2017 | 09h48

BELO HORIZONTE - Florival Rocha, pai da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, morreu na manhã desta quinta-feira, 9, em Espinosa, onde morava, aos 98 anos. A cidade fica no Norte de Minas Gerais, a 690 quilômetros de Belo Horizonte.

No último fim de semana, a ministra fez visita ao pai, que já tinha a saúde bastante debilitada. Ainda não há confirmação do local do enterro. A mãe de Cármen Lúcia, Anésia Antunes Rocha, que morreu há cerca de 15 anos, está sepultada em Belo Horizonte.


 

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.