Paes evita apagar passado de discípulo de Maia

Com o apoio e a máquina política do governador Sérgio Cabral, o ex-deputado Eduardo Paes (PMDB) evita apagar seu passado de discípulo do prefeito Cesar Maia (DEM) para se distanciar de Jandira Feghali (PC do B). Pesquisas qualitativas contratadas pelos líderes da campanha de Paes indicaram que, apesar de ter rompido com o prefeito ao trocar o então PFL pelo PSDB, partido que abandonou no ano passado para aderir ao PMDB de Cabral, o candidato ainda é lembrado por boa parte dos eleitores como subprefeito de Maia para a zona oeste do Rio.Paes estreou na política ao assumir a Subprefeitura da Barra da Tijuca e de Jacarepaguá, em 1993, com apenas 23 anos. A região ainda é um reduto eleitoral de Maia, que tem dificuldades de transferir votos para sua candidata, Solange Amaral (DEM).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.