Paes diz que não tem dinheiro para emprestar a Pezão

Segundo governador do Rio, servidores ainda não têm 13º garantido

Roberta Pennafort e Fábio Grellet, O Estado de S.Paulo

20 Novembro 2015 | 13h02

RIO - O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), disse nesta sexta-feira, 20, que não tem dinheiro para emprestar ao governo do Estado, que se encontra em grave crise financeira, embora esteja com todas as contas do município em dia. "Estamos sempre conversando, temos um trabalho integrado. As contas do Rio estão em dia, os servidores tiveram um aumento. Temos muita obra em andamento, mas está tudo dentro do prazo e com pagamento em dia. Só não temos dinheiro pra emprestar", disse Paes.

Segundo o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), existe o risco de o Estado não conseguir pagar a segunda parcela do 13º salário dos 460 mil servidores ou pensionistas até a data prevista, 20 de dezembro. “Não está garantido ainda. Estamos lutando muito para pagar a folha de novembro, pagar dezembro e pagar a segunda parcela do 13º salário. Até hoje, eles (os servidores) receberam tudo dentro do calendário que nós estabelecemos para o ano. Eles são a nossa prioridade. Os fornecedores também”, afirmou.

O motivo da penúria, de acordo com Pezão, é a queda de arrecadação de tributos pelo governo estadual - em outubro, o Estado recolheu 16% menos do que no mesmo mês de 2014.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.