Paes critica articulação do PMDB com Cesar Maia

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, reagiu à articulação do PMDB para se aproximar do DEM, oferecendo a vaga de candidato ao Senado Federal ao ex-prefeito Cesar Maia, na chapa de reeleição do governador Luiz Fernando Pezão. Em nota, Paes defendeu que o senador Francisco Dornelles (PP) ocupe o lugar na chapa do ex-governador Sérgio Cabral Filho, que deve anunciar nesta segunda-feira, 23, a desistência de concorrer ao Senado.

LUCIANA NUNES LEAL, Agência Estado

22 Junho 2014 | 20h21

A reação de Paes se justifica pelo fato de Cesar Maia, atual vereador, ser seu principal opositor na Câmara Municipal. "Depois da suruba, o que se vê agora é o bacanal eleitoral, e o Rio não pode ser vítima dele", afirmou o peemedebista. Paes fez uma alusão às recentes críticas do deputado federal Alfredo Sirkis (PSB-RJ) à aliança entre o seu partido e o PT, ao qual chamou de "suruba". Em nota, Paes ressaltou os benefícios obtidos desde 2009 com a parceria entre os governos federal, estadual e municipal. "Para que o Rio de Janeiro não corra o risco de voltar a ser um campo de batalha onde o maior prejudicado é o cidadão, eu continuo defendendo a chapa Dilma", disse.

Mais conteúdo sobre:
eleições PMDB DEM vaga senado Paes

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.