Padre Júlio Lancellotti não terá mais de indenizar Maluf

A 6.ª Câmara do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo livrou o padre Júlio Lancellotti de pagar uma indenização de 200 salários mínimos ao deputado eleito Paulo Maluf (PP), conforme sentença da primeira instância. Em 2000, ao apoiar Marta Suplicy (PT), o padre chamou Maluf de ´nefasto´, segundo informações do site Consultor Jurídico.O TJ paulista argumentou que não é todo sofrimento moral que pode ou deve ser reparado em dinheiro. Segundo o Consultor Jurídico, para os desembargadores, é preciso que a dor tenha maior expressão, que a reparação seja socialmente recomendável e que não conduza a distorções.O ex-prefeito havia argumentado que a ofensa maculou violentamente sua honra, na medida em que atribuiu a sua pessoa, de forma indireta, a responsabilidade por desgraças que acontecem na cidade.O padre recorreu dizendo que apenas praticou o exercício do direito de opinião e crítica e argumentou que não possui nenhum bem.Segundo a turma julgadora, os políticos estão sujeitos às ?mais duras críticas?, principalmente em período de campanha eleitoral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.