Padilha termina campanha com prejuízo de quase R$ 25 milhões

Candidato derrotado do PT ao governo paulista, ex-ministro declarou à Justiça Eleitoral despesa de R$ 40,2 milhões

Pedro Venceslau, Mateus Coutinho e Fábio Grellet, O Estado de S. Paulo

05 de novembro de 2014 | 16h00

Atualizado às 19h

São Paulo - Candidato derrotado do PT ao governo paulista, Alexandre Padilha, terminou a campanha com uma dívida de quase R$ 25 milhões. O ex-ministro da Saúde ficou em terceiro lugar na disputa eleitoral, atrás do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que foi reeleito no primeiro turno, e do empresário Paulo Skaf (PMDB).

O petista declarou nesta quarta-feira, 5, ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que arrecadou R$ 15,5 milhões e gastou R$ 40,2 milhões, o que dá uma diferença de R$ 24,7 milhões. O comitê financeiro único de campanha do PT de São Paulo, por sua vez, arrecadou R$ 15,4 milhões e gastou R$ 35,5 milhões.

Alckmin e Skaf terminaram a campanha no azul. O governador declarou ao TSE ter arrecadado R$ 40,3 milhões e gasto a mesma quantia. Já Skaf recebeu R$ 29,2 milhões e gastou o mesmo valor durante a campanha eleitoral.

Rio. Padilha não foi o único petista que terminou as eleições com dívidas. No Estado do Rio de Janeiro, o senador Lindbergh ficou com um saldo negativo de quase R$ 12 milhões (em números exatos, R$ 11.997.027,23).

Lindbergh, que tem mandato no Senado até 2018, arrecadou R$ 7.311.999,75 e gastou R$ 19.309.026,98. Do valor arrecadado, R$ 1,2 milhão vieram da campanha de outra petista: do comitê da presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff, eleita no segundo turno.

O governador reeleito Luiz Fernando Pezão (PMDB) e seu adversário no segundo turno, Marcelo Crivella, ainda não prestaram contas. Entre os cinco candidatos derrotados no primeiro turno, Lindbergh - que recebeu 798.897 votos e ficou em quarto lugar - foi quem mais arrecadou.

Um de seus adversários, o deputado federal Anthony Garotinho (PR), que recebeu 1.576.511 votos e ficou em terceiro na disputa pelo governo, arrecadou R$ 5.471.067,87, mas gastou bem menos que Lindbergh: R$ 5.469.747,42. Enquanto Lindbergh gastou R$ 24,16 por voto, Garotinho pagou R$ 3,46.

Procurado pela reportagem, o petista não comentou ontem sua prestação de contas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.