Divulgação
Divulgação

Padilha propõe construir 700 mil casas pelo Minha Casa

"O governo da presidenta Dilma entregou 300 mil unidades e outras 300 mil estão em fase de construção em São Paulo sem muita ajuda do governo", disse

VALMAR HUPSEL FILHO, Estadão Conteúdo

15 de setembro de 2014 | 19h00

O candidato do PT ao governo de São Paulo aproveitou a visita que fez nesta segunda-feira, 15, ao mutirão Florestan Fernandes, na Zona Leste de São Paulo, para falar sobre seu programa de governo ligado à habitação. O petista propõe a construção de 700 mil unidades pelo Minha Casa Minha Vida e em parceria com os movimentos sociais ligados à luta pela moradia.

"O governo da presidenta Dilma entregou 300 mil unidades e outras 300 mil estão em fase de construção em São Paulo sem muita ajuda do governo", disse. Ele propõe, se eleito, investir R$ 4 bilhões no segmento durante quatro anos.

O programa de governo de Padilha propõe ainda a criação de polos de desenvolvimentos regionais, a implantação do programa Cidades Sustentáveis, para municípios e ações inclusivas de desenvolvimento urbano e parcerias com movimentos sociais para a construção de casas via o programa do governo federal Minha Casa, Minha Vida.

Padilha defendeu o modelo de autogestão, como o que está sendo implantado em Florestan Fernandes. Por este modelo, o dinheiro do programa federal e a compensação estadual são repassados diretamente à Organização Não-governamental (ONG) ligada à luta pela habitação, que constrói as unidades com a participação direta dos futuros moradores, sem a contratação de uma empreiteira. "Fica muito mais barato", disse o petista.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõessão pauloalexandre padilha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.