Padilha: PAC 2 não terá supervisão direta de Dilma

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, disse esta tarde que a segunda versão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2), que o governo pretende anunciar em março, será coordenado pelos ministérios da Casa Civil, do Planejamento e da Fazenda, o chamado GPAC. O mesmo grupo já coordena o PAC atual, mas o PAC 2 não contará com a supervisão direta da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.

LENENCIO NOSSA, Agencia Estado

21 de janeiro de 2010 | 15h47

Padilha disse que o objetivo do PAC 2 é garantir a continuidade dos investimentos. "O presidente quer que o seu sucessor assuma o governo com projetos já garantidos. Ele não quer que o seu sucessor assuma como ele assumiu em 2003. E não quer que se repita o que ocorreu em 2007, quando a gente precisou identificar projetos", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.