Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Padilha não comenta inquérito autorizado por Lewandowski e viaja para Porto Alegre

O inquérito autorizado pelo ministro do STF refere-se à construção de um canal de drenagem no Balneário Dunas Altas, em Palmares do Sul, no Rio Grande do Sul

Tânia Monteiro e André Ítalo Rocha, O Estado de S.Paulo

15 Março 2017 | 19h42

BRASÍLIA - A assessoria de imprensa da Casa Civil informou que o ministro Eliseu Padilha não vai comentar a notícia de que o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a abertura de inquérito para investigar se Padilha cometeu crime ambiental no Rio Grande do Sul. O peemedebista viajou hoje à tarde para Porto Alegre e só retorna a Brasília na segunda-feira. Ele segue sob observação médica, depois de ter ficado 21 dias de licença e ter sido submetido a uma cirurgia na próstata.

O inquérito autorizado pelo ministro do STF, que não tem relação com a Operação Lava Jato, diz respeito à construção de um canal de drenagem no Balneário Dunas Altas, em Palmares do Sul, no Rio Grande do Sul. A obra foi executada em área de preservação permanente pela Girassol Reflorestamento e Imobiliária Ltda, empresa da qual Padilha seria sócio.

A suspeita sobre Padilha é a de destruir ou danificar floresta considerada de preservação permanente, mesmo que em formação, ou utilizá-la com infringência das normas de proteção. A pena prevista para esse crime é de um a três anos de prisão e/ou multa. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.