Padilha: Lula disse que se dedicará à reforma política

O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, disse hoje que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou na reunião ministerial realizada hoje pela manhã que quando deixar o governo terá como principal tarefa se dedicar à reforma política. Segundo ele, Lula deve se empenhar dentro do PT e também entre os políticos da coalizão do governo para tentar fazer caminhar essas mudanças no Congresso Nacional.

FABIO GRANER, LEONENCIO NOSSA E ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

04 de novembro de 2010 | 13h43

Padilha, no entanto, não explicou especificamente o desenho de reforma política que Lula vai se empenhar para aprovar. O ministro disse que Lula também recomendou aos ministros, especialmente aos de perfil político partidário, que se empenhem em favor da reforma.

De acordo com o relato do ministro sobre a reunião, Lula voltou a dizer que não vai indicar ou sugerir nomes de ministros para compor o governo da presidente eleita, Dilma Rousseff (PT). Mais uma vez, segundo Padilha, o presidente disse que a formação do próximo governo tem de ter a cara de Dilma. "Ninguém tem vaga garantida. O processo pertence à presidente eleita", disse Padilha, fazendo uma ilustração com um jogo de cartas, em que o baralho está mudando de mãos. Segundo o ministro, Lula pediu empenho e dedicação de seus ministros para o período de transição de governo e determinou que ninguém tire férias até 31 de dezembro.

Tudo o que sabemos sobre:
Lulagovernoreforma política

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.