Rafael Arbex/Estadão
Rafael Arbex/Estadão

Padilha lança 'Big Brother' da campanha ao governo de SP

Comitê do petista passou a transmitir eventos ao vivo pela internet

ELIZABETH LOPES E CARLA ARAÚJO, Agência Estado

21 de julho de 2014 | 19h01

O candidato do PT ao governo do Estado de São Paulo, Alexandre Padilha, está inaugurando uma espécie de "Big Brother" desta campanha eleitoral. Na sexta-feira passada, dia 18, o comitê do petista iniciou a transmissão ao vivo pela internet de seu corpo a corpo com o eleitorado. O primeiro evento transmitido ao vivo pela internet foi o pontapé inicial da campanha, uma caminhada entre a Praça do Patriarca e a Praça da Sé, no centro da capital paulista, ao lado de correligionários como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A estratégia foi novamente colocada em prática no início da tarde desta segunda-feira, 21, quando o candidato petista realizou uma caminhada pelas ruas de São Bernardo do Campo, cidade administrada pelo prefeito petista Luiz Marinho, coordenador da campanha de Padilha ao Palácio dos Bandeirantes. Pelo site oficial, era possível acompanhar as conversas do candidato com os potenciais eleitores. Para alguns, Padilha avisava: "É ano de eleição, sou candidato a governador", para outros, e em muito momentos, repetia: "Sou candidato do partido do Lula".

Na caminhada, Padilha cumprimentou um balconista de uma loja elogiando a camiseta do Corinthians que o rapaz vestia, dizendo que ele tinha bom gosto por torcer pelo seu time. Em outro momento do corpo a corpo, o petista disse a uma eleitora que pediu para tirar uma foto e se aproximou junto com sua filha que as duas pareciam irmãs. Ao seu lado, o prefeito Luiz Marinho fazia questão de dizer às pessoas que aquele era o candidato do Lula ao governo de São Paulo.

Segundo a assessoria de Padilha, a ideia é transmitir em tempo real os principais eventos da campanha, principalmente o corpo a corpo com o eleitorado, na página oficial do candidato. As redes sociais estão mudando a dinâmica das campanhas eleitorais, principalmente num pleito acirrado como o que está sendo disputado no maior colégio eleitoral do País.

Na avaliação de especialistas, as redes sociais podem ser uma ferramenta poderosa para ajudar a alavancar uma candidatura mesmo antes do início do horário eleitoral gratuito no rádio e na televisão, no dia 19 de agosto. No caso de Padilha, a expectativa é que a estratégia de levar o clima da campanha de rua para a internet possa melhorar o desempenho do candidato nas pesquisas de intenção de voto. Entre os candidatos dos maiores partidos que concorrem ao governo de São Paulo, Padilha tem o mais baixo índice nessas mostras. De acordo com a pesquisa Datafolha divulgada na semana passada, o petista registrou 4% das intenções de voto contra 16% do candidato do PMDB, Paulo Skaf, e 54% do governador e candidato à reeleição, Geraldo Alckmin (PSDB).

Os principais concorrentes de Padilha ao Palácio dos Bandeirantes ainda não lançaram uma estratégia digital semelhante nesta campanha. O líder nas pesquisas, o governador Geraldo Alckmin, ainda não tem nem site de campanha, informam seus colaboradores, argumentando que isso se deve ao fato de que, no momento, ele está mais focado no exercício de seu mandato no executivo estadual. O site oficial da campanha do peemedebista Paulo Skaf aposta na interatividade com o eleitorado por meio das redes sociais, mas sem a estratégia "Big Brother" deflagrada pela campanha do adversário petista.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesAlexandre PadilhaSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.