Padilha diz que crise de abastecimento em SP é por falta de planejamento

Em artigo, pré-candidato petista ao governo do Estado ataca administração de Geraldo Alckmin

Álvaro Campos, Agência Estado

21 Março 2014 | 15h27

São Paulo - O ex-ministro da Saúde e provável candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, criticou em um artigo publicado nesta sexta-feira, 21, pelo portal UOL o problema do abastecimento de água no Estado. Segundo ele, apesar de todos os avisos das agências reguladoras e autoridades envolvidas, o governo de Geraldo Alckmin (PSDB) não se planejou e deixou de realizar os investimentos previstos, fazendo com que a situação chegasse no atual estado.

"Em suas declarações, Alckmin trata a crise do abastecimento de água como um fenômeno decorrente da falta de chuva", comenta Padilha. "O problema que o governo do PSDB joga no colo dos paulistas não foi criado por um acidente natural, feito um terremoto ou tsunami, nem é fruto de um ataque terrorista. Ele nasceu pelo colapso da gestão Alckmin", acrescenta.

O petista afirma que, em 2008, o Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) já fazia um alerta sobre as limitações do modelo adotado para abastecer a Região Metropolitana de São Paulo. Padilha cita que, cinco anos mais tarde, em 2013, o mesmo órgão fez um relatório ainda mais contundente, avisando que uma estiagem prolongada teria "efeitos catastróficos" para a população.

Padilha ainda critica uma suposta "falta de sinceridade e transparência" do governo tucano, que descarta um racionamento de água e diz que a situação está sob controle, quando, na opinião do ex-ministro, "o que se vê é exatamente o contrário".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.