Pacientes com Alzheimer poderão ser tratados pelo SUS

Uma verdadeira revolução no tratamento do Mal de Alzheimer no Brasil, doença degenerativa que compromete a memória e o comportamento das pessoas, deve ocorrer no País com a execução do Programa de Assistência aos Portadores da Doença de Alzheimer, criado pelo Ministério da Saúde. Pela primeira vez cerca de um milhão de portadores da doença no Brasil terão acesso, através do Sistema Único de Saúde (SUS), ao tratamento especializado totalmente grátis. Este ano cerca de R$ 15 milhões serão aplicados pelo governo no programa e em 2003, a previsão é que chegue a R$ 34 milhões. A parceria entre o ministério e secretarias estaduais e municipais de saúde prevê a implantação de 74 centros de referências em todo o País para atendimento ambulatorial, hospitalar e fornecimento de medicamentos. Desses 74 centros, até o momento, 17 já foram cadastrados. A Bahia é um dos Estados mais adiantados no processo de implantação do novo sistema, devendo começar a atender pacientes a partir da próxima semana. A unidade de referência escolhida para internamentos é o Hospital Santo Antônio das Obras Sociais de Irmã Dulce, que há anos já trata pacientes com Alzheimer. Os outros dois hospitais credenciados no programa são o Creasi e o Ambulatório Magalhães Neto do Hospital das Clínicas da Universidade Federal da Bahia. "Certamente este programa será um marco, pois os pacientes terão acompanhamento de especialistas, unidades exclusivas para atendimento e medicamento, tudo gratuito", comemora a médica Juliane Passos Avena, coordenadora de assistência farmacêutica da Secretaria de Saúde da Bahia. A coordenadora informou que a secretaria já adquiriu os medicamentos necessários para o tratamento de todos os pacientes que procurarem as unidades do programa no Estado. "Nós vamos poder cuidar dignamente dos portadores de Alzheimer, melhorar sua qualidade de vida e da sua família", disse.A doençaEnfermidade considerada das mais graves e associada equivocadamente à velhice, o Mal de Alzheimer é causado por uma falha na transmissão de sinais entre os nervos do cérebro. Isso provoca perda gradual da memória e em estágios avançados prejudica seriamente o raciocínio e certas habilidades motoras, levando a alterações de comportamento no paciente. É um quadro que acaba afetando toda a família do doente, pois geralmente não se tem a orientação adequada para cuidar do paciente. Existem três drogas usadas no tratamento do Alzheimer, a principal delas é o Exelon, considerada a mais moderna para controlar a enfermidade. Os estudos sobre o medicamento mostraram que ele retarda a evolução da doença em pelo menos dois anos. A melhora é significativa principalmente na preservação da capacidade mental, a memória e a atenção dos pacientes. Os mentores do novo programa acham que ele só terá sucesso se for amplamente divulgado pelos meios de comunicação possibilitando o acesso do maior número possível de pacientes. A Associação Brasileira de Alzheimer (ABRAZ), com sede em São Paulo, colocou à disposição do público para esclarecimentos sobre o programa o telefone (11) 3276-7124. Em Salvador, as informações podem ser obtidas pelo telefone (71) 370-4190, da Secretaria de Saúde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.