'PAC só funciona porque Dilma toma conta dele', diz Lula

Evento do programa vira ato de desagravo a ministra da Casa Civil apontada como ligada ao dossiê FHC

RAQUEL MASSOTE, Agencia Estado

17 de abril de 2008 | 13h48

A solenidade de assinatura de novas ordens de serviço do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em Belo Horizonte serviu como ato de desagravo à ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, apontada como ligada à elaboração de um suposto dossiê com as despesas do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Durante seu discurso, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva  reiterou que Dilma é mãe do PAC. "O PAC só funciona porque essa mulher toma mais conta do PAC do que toma da filha dela", declarou. Veja também: ESPECIAL: o balanço do PACAo agradecer as manifestações de apoio e cumprimentar as autoridades presentes no palanque, Dilma cometeu um ato falho ao chamar a solenidade de "comício". "Quero dirigir especial cumprimento às mulheres que estão animando esse comício", afirmou. Durante pronunciamento, o prefeito da capital mineira, Fernando Pimentel (PT), fez uma defesa veemente da ministra. "Nós confiamos na ministra Dilma e somos solidários a ela contra o vento da calúnia e a maré das intrigas que às vezes tentam impedir o trabalho de gente séria. Leve de Minas Gerais, da sua terra natal, a certeza de nosso apoio e nossa amizade", disse Pimentel. Em Ribeirão das Neves, região metropolitana de Belo Horizonte, Lula também fez  afagos à chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff e disse que ela é "na verdade, a mãe, a avó e a tia do PAC. (Com Eduardo Kattah, de O Estado de S.Paulo) Texto atualizado às 16 horas

Tudo o que sabemos sobre:
PACDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.