PAC quer ''resgatar sentido de família'', afirma Dilma

Ministra lança obra em Salvador e diz que programa de habitações populares gera emprego e inclusão social

Tiago Décimo, SALVADOR, O Estadao de S.Paulo

07 de março de 2009 | 00h00

Um dia depois de participar da missa celebrada pelo padre Marcelo Rossi, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse ontem em Salvador (BA) que um dos principais objetivos das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) é "resgatar o sentido de família". "No nosso programa de construção de habitações populares, por exemplo, temos dois objetivos: gerar empregos e promover a inclusão social", afirmou. "A casa é o espaço onde se criam os filhos, onde se busca ser feliz. É um lugar fundamental para a gente construir e fortalecer os laços familiares", acredita. "É por isso que damos prioridade às mulheres na distribuição dos cartões do Bolsa-Família: a gente sabe que a primeira coisa que ela vai fazer é comprar comida para os filhos."A ministra participou, à tarde, do lançamento das obras da Via Expressa Baía de Todos os Santos, anunciada como a mais importante intervenção urbana na capital baiana em três décadas. A obra, de 4,3 quilômetros, foi orçada em R$ 381 milhões, R$ 341 milhões do PAC e R$ 40 milhões do governo baiano. Vai ligar a principal rodovia do Estado, a BR-324 (Salvador a Feira de Santana), ao porto da capital. A obra deve demorar dois anos.Junto com os colegas de Transportes, Alfredo Nascimento, e Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, Dilma assinou ordens de serviço para a recuperação de 3.424,20 quilômetros de rodovias federais no Estado - cerca de 60% da malha pavimentada na Bahia. O investimento é de R$ 630 milhões e as obras devem ser iniciadas ainda este ano."Com esses recursos, estamos acabando com aquela política de tapa-buracos", prometeu Dilma. "A empresa que vence a licitação passa a ter responsabilidade sobre as obras de recuperação por um determinado tempo. Neste caso, são dois anos, mas estamos querendo estender essa garantia para cinco anos." AFAGOSTratada por Nascimento como "a melhor administradora pública da história do País", Dilma voltou a falar que o Brasil "estava preparado para a crise" e "está em melhor condição do que qualquer outro país do mundo" para enfrentá-la. Recusou-se, porém, a falar sobre candidatura à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. "Não falo sobre isso nem amarrada", brincou.À noite, Dilma partiu para uma série de compromissos na Bahia. A primeira foi uma palestra, com o tema Mulher, Política e Espaços de Poder, no Hotel Tropical da Bahia. Mais tarde, compareceria a um show da Orquestra Neogibá, com o Coral Vozes Reveladas e Carlinhos Brown, no Teatro Castro Alves. A apresentação marcou o início das comemorações pelo quarto centenário do Tribunal de Justiça na Bahia. FRASEDilma RousseffMinistra da Casa Civil"A casa é o espaço onde se cria os filhos, onde se busca ser feliz. É um lugar fundamental para a gente construir e fortalecer os laços familiares. É por isso que damos prioridade às mulheres na distribuição dos cartões do Bolsa-Família"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.