PAC não sofrerá corte no Orçamento, diz Teotonio Vilela

O governador de Alagoas, Teotonio Vilela Filho (PSDB), disse hoje em Belo Horizonte, Minas Gerais, que não acredita que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) será afetado pelo corte no Orçamento, para compensar a perda de receita com a extinção da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). "O presidente Lula Inácio Lula da Silva garantiu que o governo não fará cortes no PAC." A possibilidade de redução dos investimentos previstos no programa chegou a ser considerada pelo presidente da Comissão Mista do Orçamento, senador José Maranhão (PMDB-PB). Vilela Filho, que se reuniu hoje com o governador mineiro, Aécio Neves (PSDB), disse que caso os cortes ocorram, Alagoas será particularmente prejudicado. "O Estado não tem poupança nenhuma, toda a arrecadação é voltada para o pagamento de servidores e não sobra nada para investimentos. A nossa única fonte de recursos é o governo federal." Ele disse acreditar que não haverá prejuízos no montante previsto para o programa, principalmente para os Estados que têm menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). Para o governador de Alagoas, embora o governo federal tenha que reduzir despesas, o pacote anunciado pelo governo federal com aumento das alíquotas da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) e do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) era necessário. "Alguma coisa o governo federal precisava fazer", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.