PAC deve ter interesse público e não partidário, diz Serra

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), disse nesta segunda-feira, em entrevista coletiva, esperar que o governo federal utilize critérios de "interesse público" nas decisões de investimento dos projetos inseridos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O PAC - anunciado por Lula em 22 de janeiro deste ano - prevê investimentos de R$ 503,9 bilhões até 2010 em infra-estrutura: estradas, portos, aeroportos, energia, habitação e saneamento. O objetivo é destravar a economia e garantir a meta de crescimento de 5%. "O correto é o governo tratar todos sob a ótica do interesse público e não do interesse partidário", reagiu o governador, referindo-se ao desejo dos governadores filiados ao PT de terem tratamento especial em seus Estados com os projetos do PAC. Orçamento Serra aproveitou para manifestar sua preocupação com a Assembléia Legislativa de São Paulo por não ter votado, até o momento, dois meses após sua posse, o Orçamento do Estado. "Estou muito preocupado com isso, e na sexta-feira conversei com o presidente da Assembléia, deputado Rodrigo Garcia (PFL), para que esta votação ocorra no menor prazo possível", disse o governador. "Não há nenhum motivo para a Assembléia ainda não ter votado o Orçamento", acrescentou. Serra fez as declarações ao chegar para a posse do novo Conselho Deliberativo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Estado de São Paulo (Sebrae-SP), realizado na sede da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.