PAC ajuda a superar deficiência de infra-estrutura, diz Bernardo

Investimentos, no entanto, não devem ser apenas públicos e precisam de complemento de setor privado

Agência Brasília

12 de março de 2008 | 14h48

A infra-estrutura foi apontada nesta quarta-feira, 12, como uma "deficiência do País" pelo ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. "Essa é uma deficiência do País, deixamos muito tempo de fazer investimentos de porte em infra-estrutura, acreditamos que o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) em boa medida supre essa deficiência e, à medida que ele ganhe velocidade, isso vai se resolvendo".  Os investimentos em infra-estrutura, no entanto, não devem ser apenas públicos, de acordo com Bernardo. "Queremos melhorar cada vez mais o ambiente de negócios para garantir que a iniciativa privada invista pesadamente em infra-estrutura".  De acordo com ele, os investimentos públicos e privados devem se complementar, sendo os privados, estimulados. O ministro, que se reuniu pela manhã com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, citou números da economia em 2007. Segundo ele, os investimentos cresceram 13,4%, o consumo das famílias 6,5%, as vendas no comércio cresceram 9,6% no ano passado e o total de operações de crédito para pessoas físicas aumentou 23%.

Tudo o que sabemos sobre:
PACPaulo Bernardo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.