P-36: boletins apontavam falhas em equipamentos

Boletins elaborados por técnicos da plataforma P-36 poucos dias antes das explosões, que causaram seu afundamento e a morte de dez operários, indicavam a existência de problemas nos equipamentos e recomendavam a interrupção da produção da operação para reparos. A informação foi dada pelo presidente da estatal, Henri Philippe Reichstul, durante uma reunião da diretoria da empresa com 20 deputados federais da Comissão Externa, que investiga o acidente, e repassada aos repórteres há pouco pela deputada federal Jandira Feghali. Segundo ela, Reichstul disse só ter tomado conhecimento dessa recomendação na manhã de hoje e considerou o fato gravíssimo. "Temos que ter o cuidado de ver onde ocorreu a falha", disse a deputada. Ela informou ainda que a Petrobras decidiu contratar uma auditoria externa para acompanhar as investigações sobre as causas do acidente. A reunião da diretoria da Petrobras com a comissão de deputados federais foi interrompida porque Reichstul foi para Macaé, onde estão previstas homenagens aos petroleiros mortos. A Petrobras vai realizar, às 16 horas, um culto ecumênico em todas as unidades da empresa do País, em memória das vítimas da P-36. Antes disso, às 14 horas, em Macaé, litoral Norte do Estado, foi realizada uma homenagem aos petroleiros desaparecidos, no Forte Marechal Hermes. Além dos familiares das vítimas, participarão da cerimônia o presidente da empresa, diretores e funcionários que trabalham na P-36. Na próxima terça-feira, o presidente da Petrobras deve prestar esclarecimentos ao Senado. No dia seguinte, quarta-feira, ele e o presidente da Agência Nacinal de Petróleo, David Zylbersztajn, são aguardados na Câmara dos Deputados. Quinta-feira os deputados se reunem novamente com a diretoria da Petrobras. A direção do Hospital da Força Aérea do Galeão informou que o petroleiro Sérgio Santos Barbosa, de 41 anos, morreu às 11h13 de hoje. É a 11.ª vítima do acidente com a plataforma P-36, ocorrido há uma semana. O funcionário da Petrobrás teve 98% do corpo queimado com as explosões da P-36.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.